top of page

“Lamento de Raça”, clássico amazônico, é relançado em campanha pela preservação da Amazônia


A canção do compositor parintinense, Emerson Maia, imortalizada na voz de David Assayag volta remasterizada 27 anos depois de seu lançamento


Um clássico do cancioneiro amazonense volta à cena após 27 anos de seu lançamento. A toada “Lamento de Raça” do compositor parintinense Emerson Maia, gravada em 1996 no álbum “Lendas, Rituais e Sonhos” do Boi Garantido, ganhou remasterização e um videoclipe. A promoção é da gravadora paulistana Atração, detentora dos direitos de produção do álbum e responsável pela volta ao mercado da obra imortalizada na voz de David Assayag.


O relançamento faz parte da campanha “Amazônia Pede Socorro” e estará disponível no YouTube e, em todas as plataformas de streaming, a partir do dia 8 de dezembro.


De acordo com Ana Maria Mendez, CEO da gravadora Atração, a empresa tem compromisso com o que grava. “A Atração é uma gravadora de música brasileira, que sempre esteve atenta e comprometida com a responsabilidade social. Neste momento, preocupada com temas que afetam a preservação ambiental, cria a campanha ‘Amazônia Pede Socorro’ para somar sua voz a todas que estão lutando pela defesa da maior floresta tropical do mundo, tida como a maior manifestação de vida em todo o planeta”, declarou. Segundo ela, “Lamento de Raça” contém ao mesmo tempo a poesia de Emerson Maia e a competência vocal de David Assayag. “É perfeita!”, destacou.


Considerada a maior voz do festival de Parintins, David Assayag, levantador de toadas do Garantido a época, relembra a execução da toada na arena. “Foi um momento único! O bumbódromo parou para me ouvir”, recordou. “Tranquilo e sereno iniciei os primeiros versos. Era um clima de êxtase, a emoção tomou conta de todo o ambiente e sabia que a toada do Emerson dava a deixa para eu explorar toda a minha potência vocal”, relembrou. “Na hora do ‘pra onde vou?’ abri uma extensão e segurei por 31 segundos... o bumbódromo veio abaixo”, recorda David Assayag. “Essa toada ajudou a forjar minha imagem de cantor para toda obra”, admitiu com humor.


Obra atemporal

Filho do compositor Emerson Maia, Emerson Faria Maia comenta sobra a atemporalidade da obra do pai. “Nada é mais contemporâneo do que ‘Lamento de Raça’. Composta em 1996, essa toada deu uma cara para o Festival Folclórico de Parintins”, salientou. “Hoje, 26 anos depois, a fumaça se faz presente na floresta e o povo amazônico volta para dar o seu brado de guerra e levantar o seu lamento em prol da nossa vida verde. Que o relançamento de ‘Lamento de Raça’ possa expressar no próximo festival, o quanto nós amazônidas lamentamos o que está acontecendo com a nossa Amazônia”, sustentou.


Para João Paulo Faria, Amo do Boi Garantido, sobrinho do compositor Emerson Maia e amigo de David Assayag, ouvir e acompanhar o relançamento da toada “Lamento de Raça” é beber na fonte da poesia vermelha e branca da Baixa de São José e conhecer as raízes do protagonismo do Garantido quando o tema é Amazônia. “‘Lamento de Raça’ tem uma grande importância histórica no Festival de Parintins, pois é o canto maior do Boi Garantido, vanguardista na abordagem de questões ambientais no Festival, em defesa da natureza. É a maior obra do mais lendário compositor do boi vermelho e branco: Emerson Maia”, afirmou.


História e legado

Considerado o mais longevo compositor do Festival Folclórico de Parintins, Emerson Maia faleceu em 2020 aos 66 anos. Durante os anos 1970, 1980, 1990 e anos 2000, compôs clássicos para o seu boi do coração: o Garantido. São dele, as inesquecíveis “Sentei junto ao pé da Roseira”, “Vem Tomar Banho de Cheiro”, “Flor de Tucumã”, “Pura Harmonia” e muitas outras, além, claro de “Lamento de Raça”.

A iniciativa da gravadora Atração brinda a poesia e a musicalidade de Emerson Maia, bem como prestigia um de seus maiores intérpretes, o cantor David Assayag.

bottom of page