Noite Ilustrada





Discografia





Vídeos





Redes Sociais



FACEBOOK




Biografia



Mário Sousa Marques Filho (Pirapetinga, 10 de abril de 1928 — Atibaia, 28 de julho de 2003), mais conhecido como Noite Ilustrada, foi um cantor, compositor e violonista brasileiro. O pseudônimo foi dado por Zé Trindade, que comandava a revista musical Noite Ilustrada em Além Paraíba (Minas Gerais), onde o jovem Mário começou a carreira de violonista.

O cantor Noite Ilustrada chama-se Mario de Souza Marques Filho. Nasceu a 10 de abril de 1928 em Pirapetinga – Minas Gerais. Seus pais, Mario e dona Alexandrina Maria, separaram-se, quando o filho ainda era bem pequeno. Então o garoto na mais tenra idade, começou a trabalhar, para ajudar sua mãe. Era engraxate, na estação de trem, e carregava leite para o fabrico de queijo. Mas isso não foi suficiente, e dona Alexandrina mandou seu filho para o Rio de Janeiro viver com o pai. O pai, que era motorista em uma fábrica de lâmpadas GE, preferiu colocar o garoto em um colégio interno.

E assim, Mario Junior foi para o SAM – Serviço de Assistência aos Menores. De lá, para o Instituto Profissional Getulio Vargas, ainda como interno. Saiu com 17 anos, tendo aprendido a trabalhar com móveis, e foi trabalhar em Vila Izabel. Foi aí que conheceu o pessoal da Escola de Samba da Mangueira. O garoto, de cor negra, gostou das rodas de samba e percebeu nascer dentro de si, a vocação artística. Mesmo tendo passado mais de oito anos de internato, sem ter recebido sequer a visita dos pais, Mario tinha facilidade em fazer amigos. Esperto e bonzinho, também tinha inclinação para o futebol, e foi mesmo ser jogador em Minas Gerais, na cidade de Além Paraíba. Foi quando o humorista Zé Trindade fazia shows na região, que Mario o conheceu.

Como já tocasse violão, o “Bom Crioulo”, como ele era chamado, juntou-se ao humorista.. Logo comprou seu primeiro violão, que pagou “pingadinho”, e foi virando profissional, isto é: “tentando”, pois embora fazendo parte do regional da Rádio Novo Mundo, não recebia salário nenhum. Na excursão que fez com Zé Trindade é que cantou no palco, pela primeira vez, no lugar de um colega que faltou. E, por não se lembrar do nome do principiante, Zé Trindade o anunciou como “Noite Ilustrada”, nome de uma revista carioca. Assim foi batizado o jovem cantor.